Notícias

Cidades do Café

Cidades do Café

São 853 cidades em Minas Gerais, 15,5% do total das cidades do país. O segundo estado mais populoso da união, ocupa hoje o posto de maior produtor de café do Brasil. Mas 4 municípios hoje ocupam o posto mais alto dentro do polo cafeicultor  mineiro. Não apenas pela quantidade produzida, mas pela qualidade do grão produzido, de acordo com a Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais, a FAEMG.

Manhuaçu

A palavra Manhuaçu, de origem indígena, que dizer rio (Manã) grande (Açu). O nome demonstra que, desde os tempos mais antigos, a região é reconhecida por suas riquezas naturais. Hoje, o café está entre os grandes destaques da cidade.

Prova disso é ver, na entrada do município, um dos mais importantes símbolos manhuaçuenses: a estátua do cafeicultor. A obra, do artista plástico João Rosendo, reconhece a figura do produtor rural, valorizando a agricultura, setor que impulsiona a economia local.

A Atlantica Coffee está presente no município. O escritório está localizado na Av. Barão do Rio Branco, 330A, Baixada.

 

Varginha

Há pouco mais de duas décadas, a cidade de Varginha ficou internacionalmente conhecida pela suposta aparição de um ser extraterrestre. Se é mito ou verdade a existência de ETs e a presença deles em Minas Gerais, não cabe a nós concluir. Podemos afirmar, porém, que a cidade do ET é, também, uma das mais importantes da região cafeeira.

Desde o século XX, Varginha é reconhecida como polo na produção do café. Mesmo não estando à frente no volume de lavoura, a região é uma das maiores praças de comercialização dos grãos.

A Atlantica Coffee está presente no município. O escritório está localizado na Alameda do Café, 85, bairro Jardim Andere.

 

Alto Jequitibá

Cercada por paisagens exuberantes está a cidade de Alto Jequitibá. O município é reconhecido por seu imenso patrimônio histórico, com destaque para estação ferroviária, túneis e igrejas, presbiteriana e católica. As belezas naturais da região ficam por conta das reservas de Mata Atlântica e da Cachoeira das Andorinhas.

A relação entre Alto Jequitibá e a cultura cafeeira é sólida. Ainda no século XIX, com a chegada da família Sanglard, foram iniciadas as primeiras lavouras. De lá para cá, toda a região tornou-se polo do cultivo.

A Atlantica Coffee está presente no município. O escritório está localizado na rua Capitão Heriger, 500, no Centro.

 

Caparaó

Apenas 54 anos de emancipação (30 de dezembro de 1962) e mais de dois séculos de história. Assim é Caparaó. O município, que abraça parte do Parque Nacional do Caparaó, é marcado por paisagens de tirar o fôlego, como o Pico da Bandeira e o Pico do Cristal.

Apesar da recente fundação, a cidade é conhecida, desde 1848, pela fertilidade de seu solo. Dentre as principais culturas mantidas no município, destaca-se o café. Outra riqueza natural são os minerais encontrados na cidade, como feldspato, caulim e mica.

A Atlantica Coffee está presente no município. O escritório está localizado na avenida Américo Vespúcio de Carvalho, 178, no Centro.

Categorias
Curta nossa Página
Arquivos

Formulário

para o produtor

Clique aqui

Formulário

para o cliente

Clique aqui

CERTIFICADOS

DE QUALIDADE



Atlantica Coffee comercializa cafés certificados por órgãos nacionais e internacionais.

Isso se traduz na garantia de qualidade do nosso café arábica em grão verde cru, considerando aspectos como transporte, armazenamento, cultivo do solo e adequação às normas de sustentabilidade.

Nossa empresa é qualificada e responsável pela validação dessas certificações junto ao produtor. Uma equipe técnica oferece visita, apoio e suporte para que os produtores estejam dentro das especificações de cada órgão.

Os grãos Atlantica Coffee possuem os selos BSCA, Rainforest Alliance, Certifica Minas, UTZ, 4C

X

Rainforest Alliance

A Rainforest Alliance é uma organização não governamental que trabalha para conservar a biodiversidade e garantir meios de vida sustentável, influenciando nas práticas de uso da terra, nas comerciais e no consumo.

Essa organização confere um certificado ou selo de garantia, que identifica o produto como produzido com responsabilidade.

Para isso, foi desenvolvido um sistema de Certificação de Cadeia de Custódia (CoC) que estabelece critérios para as auditorias nas empresas que adquirirem produtos de fazendas certificadas pela Rainfores Alliance

A CoC consiste no processo de rastreamento de um produto desde sua origem numa fazenda certificada até o consumidor final, passando por todos os estágios intermediários de fabricação, transporte, comercialização e armazenagem, garantindo que a declarações de sustentabilidade sejam comprovadas.

Os serviços de auditoria e certificação da Rainforest Alliance são gerenciados e implementados dentro de sua unidade de negócios RA-Cert, uma certificadora autorizada que realiza auditorias nos Padrões de Agricultura Sustentáveis ​​da Rainforest Alliance.

Sendo assim, as fazendas e empresas certificadas passam a usar o selo do sapo verde Rainforest Alliance Certified.

X

BSCA

A Associação Brasileira de Cafés Especiais – BSCA, em inglês – Brazilian Specialty Coffee Association é uma certificação que tem como principal função difundir e estimular o aprimoramento técnico na produção, comercialização e industrialização dos Cafés Especiais.

A ideia é elevar os padrões brasileiros de excelência, oferecidos aos mercados interno e externo.

O órgão entende por Cafés Especiais os grãos isentos de impurezas e defeitos, com atributos sensoriais diferenciados. Eles incluem a bebida ser limpa e doce, com corpo e acidez equilibrados.

Além dessas qualidades, os Cafés Especiais devem ter rastreabilidade certificada e respeitar critérios de sustentabilidade ambiental, econômica e social em todas as etapas de sua produção.

A BSC é a única instituição brasileira a certificar lotes que podem ser monitorados por meio de selos de controle de qualidade de Cafés Especiais.

Em 1998, em parceria com a Alliance for Coffee Excellence (ACE), a BSC criou o Concurso de Qualidade Cafés do Brasil – Cup of Excellence. Esse concurso possibilita os produtores a vender seus cafés, via leilão pela internet, a preços mais bem valorizados em relação aos dos mercados convencionais.

X

UTZ

A certificação UTZ (UTZ Certified) é um selo que atesta a agricultura sustentável, presente em aproximadamente 10 mil pacotes de produtos diferentes em mais de 116 países.

Essa certificação garante aos consumidores a preocupação com a sustentabilidade de toda cadeia envolvida em levar o produto à sua mesa.

Para obter a certificação, todos os fornecedores da UTZ devem seguir seu Código de Conduta.

Nesse documento, são oferececidas orientações especializadas sobre melhores métodos de cultivo, condições de trabalho e cuidados com a natureza.

A partir de 2014, a UTZ Certified tornou-se o maior programa de cultivo sustentável de café e cacau no mundo. Esse programa abrange certificação de café, cacau, chá e avelãs.

X

Certifica Minas

O Certifica Minas tem como principal objetivo ampliar a inserção competitiva da produção agropecuária mineira em relação aos mercados nacionais e internacionais.

Seu foco é superar as restrições relacionadas à preservação de plantas e animais, também conhecidas como normas zoofitossanitária.

O órgão atua na rede de desenvolvimento rural, com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), como responsável pelo Programa.

Essa certificação identifica nas propriedades produtoras de café a necessidade de manutenção e melhoria efetiva da qualidade, de modo a valorizar os cafés mineiros, visando novos mercados, geração de empregos, aprimoramento no atendimento, manejo adequado do solo, entre outras exigências.

X

4C

A verificação 4C consiste não só na aplicação dos altos padrões do café, mas também sobre as condições econômicas, sociais e ambientais condizentes na produção e processamento desses grãos, estabelecendo assim cadeias de fornecimento sustentáveis mais seguras e confiáveis.

O café é considerado compatível com 4C quando produzido de acordo com o Código de Conduta desse órgão certificador, que estabelece um conjunto de práticas e princípios básicos de sustentabilidade para o cultivo dos grãos verdes.

A conformidade pode ser demonstrada pelo Sistema de Verificação e das Licenças 4C, que são posteriormente emitidas. Os cafés 4C são produzidos em 28 países por mais de 500.000 agricultores.

Gostou de conhecer a @atlanticacoffee? Siga-nos no Instagram e utilize a

#atlanticacoffee

X

X